segunda-feira, julho 10, 2017






















O cantor agitava-se como uma árvore ao vento
Deambulava como um vagabundo por entre
As almas de quem, maravilhado, o ouvia.
Duas garotas soltavam os seios e os anseios
À medida que sorriam por entre galhos e poemas
O suor colava o pó aos corpos e a pele brilhava
Como só brilha a pele de gente feliz.
Dançavam como loucas e os ventres moviam-se
Ao som ritmado dos instrumentos e da voz
A noite transforma as pessoas em gigantes de sombra
E as luzes do palco tornam o olhar sempre belo
Cheirei-lhe o cabelo quando dançaram perto de mim
Eram sedutoras e sabiam isso, e eu estava ali parado
Enfeitiçado pelos corpos e pela música,
Inebriado pelo cheiro daquelas fêmeas ainda jovens
De seios soltos e firmes.
Foi então que me dei conta de que para tipos de 50 anos
A liberdade dos jovens é uma recordação feliz.


Manuel F. C. Almeida

2 comentários:

Max Hebert Teixeira Silva disse...

E para tipos de quase trinta um algo a mais que já se esvai.

sagher disse...

quem me dera ter 31. obrigado