domingo, fevereiro 27, 2011




















Só a culpa inibe
O olhar da nudez
Na dança instintiva
Do desejo.
Os deuses que se ouvem
Em nós
E nos cobrem com a sua vergonha,
São os mesmos que rejubilam com
O festim da guerra santa.

Manuel F. C. Almeida


1 comentário:

d'Alma disse...

Haverá sempre preconceitos!...Serão necessários, esses preconceitos?!... tanto como qualquer outro preconceito, como qualquer outro interesse ou desinteresse; como uma bomba no coração d uma criança sem culpa, como… a inocência que alguém vende ao preço exorbitante do pecado!... Como um pecado necessário ou sem necessidade… como o desejo de quem tem vontade própria ou sem vontade de a ter… como a Vida!... Ou apenas os corpos!




Boa semana





Abraço