sábado, julho 17, 2010


















Sento-me
Nas pedras do monte
A desenhar o teu nome
No chão e
A soletrar palavras de amor
Para que não partas de mim.
Ensaio um poema sem rimas
Sem métrica, ou musica.
Sem ventos ou tempos.
Sem lábios ou mãos.
Um poema vazio
Feito só de palavras, que
Se soltam livres
Como jovens e belas águias.
Olho em redor
E encho-me com o silêncio
Atroz das minhas testemunhas.

Manuel F. C. Almeida


1 comentário:

MalucaResponsavel disse...

gostei deste poema.