quarta-feira, fevereiro 03, 2010













Ao alto
Eu ergo esta mão.
Martelo, aço, bigorna.
Espada triste,
Espada morna
Que corta o teu corpo
Em pedaços.
No retorcer dos desejos,
Na explosão dos
Abraços.

Manuel F. C. Almeida

1 comentário:

Isabel disse...

Lindo! Devias divulgar mais o que escreves.