terça-feira, outubro 20, 2009












Eu quero ser o teu sonho presente
O berço do teu horizonte
A madrugada dos teus dias
A água da tua fonte

Quero ser o ninho onde adormeces
O lençol do teu sonhar
A luz onde te aqueces
O ar do teu respirar

Quero ser parte da tua volúpia
A tua luxúria sem nexo
A convulsão do teu corpo
No prazer do nosso sexo.

Manuel F.C. Almeida


foto: bricehardelin

5 comentários:

Ana Camarra disse...

Está tudo dito:

Boa banda sonora, me gusta mucho!


Beijo grande abraço apertado

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Ai o sentido de posse....


beijocas

sagher disse...

Não há posse apenas o expressar de sentimentos.
Está tudo dito

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Mas o sentimento não terá sempre posse em si?

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo, Poeta, esse seu expressar de sentires, sentimentos e sentidos, sem possessão.
Mas eu me pergunto se tanta expiação é necessária... Opção.
Opto sempre pela vida, pela alegria que contagia e penetra nos poros...
Bom dia!
Meus cumprimentos e Paz!
Beijos,
Renata Maria