sexta-feira, setembro 18, 2009



















Em mim, há uma mão
Misteriosa e distante
Que parece indicar
O caminho certo;
O caminho que não conhece
Fronteiras ou a cor da
Minha alma.

O caminho que não conhece
A verdade ou as palavras
Escondidas e impuras.

Em mim há uma mão
Que não sente o sopro
Do vento
Nem a corrente fria
Das águas
Que deslizam no
Pensamento.

Manuel F. C. Almeida


2 comentários:

Maria Dias disse...

Nossa q lindo e profundo!A musica tb está maravilhosa e fechou com a imagem...Parabéns!

Beijinho

Crystal disse...

Pois eu gostaria de ter uma mão assim...a minha indica sempre o caminho errado :(

Beijo em ti

P.S. Tá maravilhoso o poema