terça-feira, novembro 21, 2006

DE MIGUEL SOUSA TAVARES




















Quero fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática.Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido.O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios.Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.

3 comentários:

maria_arvore disse...

Por uma vez (sem exemplo ;)) tenho de concordar com o Miguel Sousa Tavares.:)
Para negócios, chega o trabalho e em algum lado, havemos de poder ser pessoas e amar.

maria_arvore disse...

Ah e adoro os Procol Harum

Anónimo disse...

Olá =) adoro o texto! Mas tenho de fazer uma pequena correcção, se não levar a mal, o texto é de Miguel Esteves Cardoso!

Cumps!