segunda-feira, outubro 30, 2006

Sem poesia, porque não sou poeta

















Eu queria amor libertar-me de ti,
Como qualquer escravo da saudade
E embora saiba que em ti morri
Não consigo pensar em liberdade

Eu queria amor não te ter amado
Nunca o teu rosto ter conhecido
Nunca por ti ter sido beijado
Nem pela paixão consumido

Eu queria amor … já nem sei bem
Talvez ter sido só teu confidente
Porque embora sentindo tanto desdém
Continuo a sonhar-te neste presente.


Manuel Almeida

2 comentários:

papoilaafgâ disse...

ser livre nao é fazer o que queremos,
é querer o que podemos.

JEAN PAUL SARTRE

sagher disse...

linda papoila:
o homem é livre, mas encontra a lei na sua própria liberdade.

simone de beauvoir