quarta-feira, julho 27, 2005

que mundo é este

a pergunta surgiu-me ao analizar os ultimos acontecimentos em inglatera e as declarações do trabalhista tony blair. na verdade, começo a questionar-me sobre aquilo que nos é dado a conhecer. factos: uma semana antes da reunião do G8 um movimento algo naif tentou e conseguiu, em parte, mobilizar o mundo para o problema a fome no emisferio sul, nomeadamente em áfrica. foi com altas expectativas que o mundo assistiu á reunião dos senhores da guerra. la estavam todos. os mais badalados em 8 eram blair, bush, putin, e chirac, senhores de um poderio militar assutador e de uma não menos aterradora capacidade para pulverizar o mundo. a pressão sobre eles era imensa, pedia-se o perdão da divida dos paises pobres ( como se estes senhores fossem pessoas de boa vontade ) a reunião começou; assim como o folclore associado por parte dos grupos ditos anti globalização. tudo seguia como planeado. bush recusava-se a baixar a emissões de co2( que nome se deve dar a isto? terrorismo? crime contra a humanidade?) chirac tentava desesperadamente voltar a ser aceite na pax imperial, blair fazia o papel de escuteiro e putin espreitava a opurtunidade. aliás todos a espreitavam. ela surgiu. alguém, supostamente ligado a uma organização islamica, fez um favôr aos senhores do G8. as bombas que explodiram tiveram como alvo, não os ingleses, mas antes os povos de todo o mundo, tiveram o condão de fazer esquecer a dita reunião, de provocar um aumento nos preços do petroleo, de fazer esquecer os atropelos dos direitos humanos na russia e nos estados unidos, de nao se falar mais no perdão da divida, de nao se falar mais nas questões do aquecimento global de nao se condenar a china pela genocidio do povo tibetano. a reunião nao passou de um lugar de repouso. a explosões rebentaram nas nossas maos, querem diminuir as liberdades civicas, matam indescriminadamente em nome ds segurança, basta teres uma cor diferente da maioria para te tornares suspeito, prendem pessoas sem qualquer acusação. este é um mundo onde as explosões me parecem cada vez mais uma encomenda e o fundamentalismo islamico uma criação necessaria dos poderosos. afinal eles necessitam de desculpas para tornarem isto tudo num pesadelo capitalista e liberal onde a organização social terá o nome de " democracia" e a praxis do fascismo.

1 comentário:

Lumife disse...

Obrigado pela visita. Sobre o teu post tb acho que as explosões são muito coincidentes com momentos que interessam ser abafados.
Os políticos estão a enterrar a política.
Volta sempre